Sociabilidades, Práticas e Formas de Sentimento Religioso

O GI «Sociabilidades, Formas e Práticas do Sentimento Religioso» integra 28 investigadores, 19 dos quais Doutorados, com diferentes formações científicas de base (História, Literatura, História da Arte e Estudos Culturais e Literários). Herdeiro do CIUHE (Centro Interuniversitário de História da Espiritualidade, unidade de I&D nº 24 da Fundação para a Ciência e Tecnologia) tem continuado um amplo programa de investigação no campo da literatura de espiritualidade e da história do sentimento religioso, cujos resultados são anualmente publicados na Revista Via Spiritus. Revista do Sentimento Religioso. Ao longo de um período de vinte anos, este GI, sempre renovado com a presença de jovens investigadores, provenientes de várias áreas da formação pós-graduada, tem privilegiado a Época Moderna, como moldura temporal, se bem tenha dedicado atenção a todas as cronologias. Os números da Via Spiritus sintetizam as diferentes linhas de síntese que têm vindo a estruturar a investigação: globalmente história religiosa e literatura de espiritualidade em Portugal, tendo em conta evoluções teórico-doutrinais, doutrinas espirituais e práticas sacramentais, com consequências tanto sobre o plano religioso como sobre o plano social. Deste modo, o estudo dos mecanismos de «propaganda», difusão e criação de formas devocionais, a pastoral, a legislação sinodal, a pregação, a «culpa», o eremitismo, as relíquias, a hagiografia literária, o estudo dos modelos «meridionais» de santidade, a história social e as diferentes tipologias de santidade e respectivos processos de construção, as doutrinas apocalípticas, leituras, livros e correntes de espiritualidade, poesia e Bíblia, «artes de morrer», espaços penitenciais, programas de educação feminina constituíram-se em linhas de investigação cujos resultados a Via Spiritus tem vindo a divulgar, sem esquecer os estudos sobre as ordens religiosas e respectiva cronística, paradigmas de santidade e história religiosa, as construções identitárias, os «combates» ideológicos sobre o papel da história e da dimensão religiosa na sociedade e na cultura.

Objectivos

Consolidando experiências anteriores, este GI pretende contribuir para a integração de estudantes de formação avançada, sem esquecer o 1º Ciclo, cruzando, de forma interdisciplinar, História, Património Cultural, Estudos Literários e Culturais e História da Arte. Pretende, também, investir em acções de disseminação de resultados, na colaboração com autarquias locais, museus, de modo a contribuir para a valorização social do conhecimento, entendendo que a coesão social depende da construção de identidades.

O GI propõe-se continuar a investigação iniciada em anos anteriores, nomeadamente através dos seguintes objectivos:

  • Contribuir para a definição cultural do Norte de Portugal em termos do movimento de livrarias monásticas e aristocráticas dos séculos XVI-XIX;
  • Definir, em termos da geografia cultural, aáreas de especificidade e interpenetração das bibliotecas claustrais e aristocráticas;
  • Mapear, para o Norte de Portugal, as bibliotecas claustrais e aristocráticas, de acordo com as suas características, contribuindo para o conhecimento do Norte como uma região cultural;
  • Elaborar uma base de dados de livre acesso que permita identificar os autores, obras, dedicatórias e censores entre 1501 e 1800;
  • Compreender as redes sociais e artísticas que ligaram algumas casas religiosas a figuras da Corte;
  • Estudar o monástico quotidiano, nas suas tensões entre comunidade e individualidade;
  • Compreender a alimentação, a higiene e os hábitos de saúde nos mosteiros femininos;
  • Compreender a dimensão artística das casas monásticas, na oposição entre produção e procura/oferta;
  • Perceber como a arquitectura das casas determinou formas de realização da vida quotidiana;
  • Contribuir para a construção do Parnassus (canon) português, através da recepção dos poetas portugueses do séc. XVI, pelo público dos séculos XVI e XVII;
  • Reunir e fornecer informação que permita estabelecer as bases da memória poética para além da imprensa;
  • Estabelecer um programa anual de Conferências cujos resultados serão publicados na «Via Spiritus»;
  • Consolidar a experiência anterior e construir programas de formação doutoral e pos-doutoral, através do desenvolvimento de mecanismos de cooperação com outros centros de investigação estrangeiros, do apoio e integração no GI de estudantes de pós-graduação e da disseminação dos resultados alcançados.
  • Prosseguir a publicação «Via Spiritus».

Funcionamento

  • Realização e participação dos investigadores em Seminários mensais, na base de um tema anual, promovendo a interdisciplinaridade;
  • Apresentação de bibliografia que traduza o estado da investigação mais recente, seguida de discussão por todos os membros do GI;
  • Organização de"‘workshops", em que os investigadores mais jovens apresentam os desenvolvimentos da investigação que estão a realizar;
  • Organização de Mesas-redondas e Conferências destinadas a estudantes de 1º Ciclo (Fazer Falar os Textos).