Seiscentistas Quatrocentões

Tipo: Colóquio

Local: Sala de Reuniões | Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Data: 9 Dezembro 2019

COLÓQUIO «Seiscentistas Quatrocentões: para uma revisão da Literatura Barroca Luso-Brasileira»

A passagem dos quatrocentos anos do nascimento do poeta satírico João Sucarelo Claramonte (*1619 †1668), conhecido como o poeta dos disparates do Porto, serve de pretexto para uma tentativa de balanço em torno do barroco luso-brasileiro. Depois dos trabalhos de Maria de Lurdes Belchior e de Vítor Manuel de Aguiar e Silva, foram surgindo nas duas últimas décadas – quase sempre sob a forma de dissertações e teses – uma série de importantes obras sobre os autores que Teófilo Braga designou como seiscentistas, entre os quais Jerónimo Baía, D. Feliciana de Milão, Gregório de Matos, Jorge da Câmara, D. Tomás de Noronha, António da Fonseca Soares, Barbosa Bacelar, Gonçalo Soares da Franca ou João Sucarelo Claramonte, contemplando frequentemente questões mais teóricas que envolvem a literatura da época.

Apesar disso, os autores referidos representam apenas uma pequena amostra do conjunto considerável de poetas que pululam, como refere Aguiar e Silva, “nos numerosos cancioneiros e miscelâneas” de seiscentos. A produção poética do barroco português carece ainda de um verdadeiro levantamento, estudo e sistematização. Alguns autores já têm a sua obra total ou parcialmente recenseada e editada, mas muitos outros permanecem esquecidos, correndo-se o risco da sua perda sem que apurem questões essenciais, como a de saber se houve um barroco caracteristicamente autóctone.

Pensamos pois que esta é a altura de rever o cenário, dando a palavra a quem vem trabalhando nesta área.

 

Comissão Organizadora
Francisco Topa
Márcia Edlene Mauriz Lima
Maria do Céu Duarte

 

Programa disponível brevemente.

Ficheiros

Cartaz

Programa