Colóquio internacional CITCEM/ SPAE «Modos de Fazer»

Tipo: Colóquio

Local: FLUP - Anfiteatro Nobre

Data: 17 Outubro 2018 19 Outubro 2018

Qual a relação entre fazer, aprender, transmitir, construir, criar, memorializar e compreender quando essas atividades são colocadas em relação umas com as outras, e todas com a ação humana em geral, imersa no mundo?

Que aprendemos, sobre os “modos de fazer” e a sua repercussão ao nível do sujeito individual ou do coletivo social, quando, em vez de os considerarmos estanques, os articulamos uns com os outros? 

Estas são questões fundamentais que orientarão o Colóquio Internacional “Modos de Fazer”.

Na tradição ocidental, “fazer” significa impor uma forma, ou um projeto pré-concebido, a uma matéria-prima, considerada inerte. É o que o antropólogo britânico Tim Ingold (Universidade de Aberdeen, Escócia), entre outros, designa modelo “hilemórfico”. De facto, para Aristóteles, todas as coisas resultavam da junção da matéria (hilé) e da forma (morphé). E é nessa linha de pensamento que ainda hoje maioritariamente nos encontramos.

Mas é possível encarar as coisas de outro modo, e tentar perceber mais de perto como se dá, desde que existimos, a relação do ser humano com os materiais e os recursos dos ecossistemas que o envolvem. Aprender, com quem sabe e na prática, observar, ouvir e manusear, experienciar texturas e identificar odores, analisar características intrínsecas e antever resultados de interações, torna-se um processo longo de capacitação, de apuramento dos sentidos e do gesto, de conhecimento dos materiais, das técnicas e das circunstâncias. Desta interação, eventual ou repetida, resultam processos de aprendizagem e construção de conhecimento. O uso do “saber-fazer” para “fazer saber”, em íntima relação com o mundo a que pertencemos, e que constantemente nos faz, como nós permanentemente o fazemos, transforma esta interação numa cadeia reprodutiva de produção e aplicação de conhecimento.

 

Este Colóquio convoca, assim, todas as áreas disciplinares que possam contribuir para uma reflexão sobre esta problemática do fazer, do saber fazer, do lidar com materiais e com recursos disponíveis, atentos às suas especificidades, ao modo ativo como intervêm nas nossas formas de agir, de pensar, de gerar e transmitir saber. Através de estudos de caso, ou de uma reflexão teórica, procurar-se-ão estimular leituras transdisciplinares, capazes de evidenciar, não só as afinidades profundas entre áreas académicas, como a sua inter-relação com formas de saber não escolarizado, pondo em evidência os processos como nós, seres humanos, criamos coisas, criamos ambientes, criamos mundos, ao mesmo tempo que somos por eles criados.

 

 

Conferencistas convidados

Kapil Raj (EHESS, Paris) – Conferência de Abertura (ainda sob confirmação)

Tim Ingold (Universidade de Aberdeen, Escócia) - Conferência de Encerramento)

 

Abertura de Call for Papers em Janeiro – mais informações em breve.